Os Sentidos da Periferia

Apresentação

O curso Os Sentidos da Periferia – Contos clássicos de América hispânica e da África de língua portuguesa no século XX visa ampliar as referências literárias sobre os universos culturais que dialogam com a própria cultura brasileira. Por meio de leitura e discussão de contos importantes da literatura hispano-americana, bem como daqueles de Angola e Moçambique, o intuito é ampliar o horizonte de reflexão sobre a condição “periférica” da modernidade no século XX. Seja pela proximidade geográfica (América Latina), seja pela proximidade lingüística herdada da colonização (a língua portuguesa), o aprofundamento nesses universos literários deverá ampliar, igualmente, a capacidade de pensarmos o que há de comunitário e de específico em nossa própria condição.

Público-alvo

Professores da área de Letras e Artes; estudantes de cursos de graduação e pós-graduação; interessados em geral.

Conteúdo                                                                                                         

1) Teoria do realismo

2) Realismo e periferia

3) Jorge Luis Borges e o realismo fantástico

4) Alejo Carpentier, o Barroco e o real maravilhoso

5) Gabriel García Márquez e o realismo mágico 

6) Juan Rulfo: realismo e revolução

7) Dois clássicos da África “portuguesa”: contos de Luis Bernardo Honwana e Luandino Vieira

8) Cultura contemporânea brasileira: aproximações entre o malandro e o marginal

Metodologia

Aulas expositivas e debate em sala de aula.

QUESTÕES EM TORNO DO REALISMO

1 O realismo na literatura: entre a escola realista e a perspectiva de mundo (15.08)

1.1 Um debate fundamental do século XX: György Lukács e Theodor Adorno sobre os impasses do realismo (22.08)

1.2 Realismo a la periferia: o diálogo crítico entre Antonio Candido e Ángel Rama e o tema da “formação” da literatura (29.08)

1.3 Realismo a la periferia II: Roberto Schwarz e as propriedades impróprias da cultura brasileira (05.09)

A LITERATURA MODERNA HISPANO-AMERICANA

2 Jorge Luis Borges: a reinvenção do fantástico e as orillas de Buenos Aires (12.09)

2.1 Alejo Carpentier: as culturas simultâneas do maravilhoso e o barroco latino-americano (19.09)

Gabriel García Márquez: realismo mágico e a narrativa da solidão nos confins da modernidade (26.09)
Juan Rulfo: o pensamento mítico e os deserdados da Revolução Mexicana (03.10)

A LITERATURA MODERNA EM ANGOLA E MOÇAMBIQUE

3 Uma certa formação exógena: diálogos Atlânticos sob o Império português [1950-1960] (10.10)

Luís Bernardo Honwana (Moçambique): forma e formação no clássico Nós Matamos o Cão-Tinhoso [1964] (17.10)
Luandino Vieira (Angola): forma e formação nas narrativas de Luuanda [1963] (24.10)
Ficção na contemporaneidade: Mia Couto e as lições atlânticas (31.10)

A CULTURA NO BRASIL CONTEMPORÂNEO: ALGUMAS APROXIMAÇÕES

4 Do malandro ao marginal: hipóteses sobre as transformações do “periférico” (07.11)

4.1 Ficções da marginalidade no Cinema: Cronicamente Inviável (2000), de Sérgio Bianchi; O Som ao Redor (2013), de Kleber Mendonça Filho; Que Horas Ela Volta? (2015), Anna Muylaert (14.11) 

Diferenciais

Não são poucos os estudos que ressaltam o histórico abismo existente entre “o Brasil e a distante América do Sul” (para citar um texto da historiadora Maria Ligia Prado). Encarando o país como um continente, os intelectuais e escritores brasileiros só a muito custo estudaram, debateram e problematizaram os temas nacionais sob a égide da cultura latino-americana. Com louváveis exceções – como a perspectiva comparativista presente em Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda; os estudos de história econômica de Celso Furtado; ou o incipiente diálogo entre Antonio Candido e o crítico uruguaio Ángel Rama –, nossas aproximações dos países de língua espanhola (com exceção das áreas especializadas da academia) ainda parecem modestas.

O mesmo problema se agrava quando tratamos dos países africanos de língua portuguesa, cujas contribuições culturais à nossa própria formação foram por muito tempo ignoradas (pensemos no estabelecimento, apenas em 2003, de disciplinas regulares sobre África em escolas do ciclo Básico). O crescimento, nos últimos anos, de programas voltados para a literatura e a cultura de países africanos, bem como (no âmbito político) a militância de movimentos vinculados à cultura negra, têm despertado ambos o interesse de setores mais amplos da população. Convém mencionar que a tais fatores se soma a vertiginosa especialização das pesquisas acadêmicas, cuja relevância, às vezes, é prejudicada pela ausência de uma perspectiva mais abrangente.

Sem prescindir do rigor da análise, ao/à participante do curso será proposta uma apreciação comparativa desses casos exemplares da produção literária fora do “continente Brasil”, contribuindo para o enriquecimento de suas referências culturais. Por fim, o possível diálogo com obras brasileiras, encetado pelo debate, reforça a importância da reflexão coletiva para o desenvolvimento do sentido crítico de cada integrante.

Pré-requisitos

Pré-requisito obrigatório: gosto pela leitura

Pré-requisito sugerido: empatia com o debate e a troca de ideias

Período de Realização

12/set/2018 a 19/12/2018

Corpo Docente

Mestre e doutorando em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa (Universidade de São Paulo – USP), Fábio Salem Daie atua com Teoria literária, Literaturas modernas de Língua Portuguesa (Angola, Moçambique, Brasil) e Literatura moderna hispano-americana.

Dúvidas

WhatsApp FASM¹: (11) 98211-9359
Contato Telefônico¹: (11) 3824-5800

Ou nos envie um e-mail em nosso FALE CONOSCO¹!

¹Atendimento realizado de segunda-feira a quinta-feira, das 8h às 19h / às sextas-feiras, das 8h às 17h.

Quer saber mais?


Duração

30 horas (15 aulas)


Horários

19h30 às 22h30 (quarta-feira)


Valor

R$1.100,00 ou 4x R$275,00


Unidade

Perdizes - SP
(11) 3824-5800