COVID-19



O Ministério da Saúde publicou nessa quinta-feira, 12/03, a portaria 356/20 que regulamenta a lei 13.979/20 e estabelece medidas de enfrentamento do novo Coronavírus no território nacional.

Diante do aumento recente de casos confirmados, comunicamos as medidas adotadas em nossa instituição para aumentar a segurança da Comunidade Marcelina e contribuir para que a doença seja contida:

- Álcool gel (70%) foi disponibilizado em todos os espaços (salas, laboratórios, oficinas, áreas administrativas) e serão instalados dispensers nos corredores de ambas as unidades (Perdizes e Itaquera);

- Todas as áreas da faculdade são higienizadas rigorosa e diariamente;

- Máscaras estão disponíveis a todos que apresentarem pelo menos um dos sintomas: tosse, febre e/ou dificuldades para respirar (no momento, não há recomendação para uso de máscaras para população no geral, quem estiver saudável não precisa se preocupar com isso);

- Divulgação das campanhas ao público interno através de murais e e-mail, com orientações para a identificação dos sintomas e medidas preventivas para evitar que a doença se alastre ainda mais.

O que é o Coronavírus?

Denominada oficialmente como COVID-19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019”, o Coronavírus é um vírus que causa doença respiratória, com casos recentes registrados na China e em outros países. O quadro pode variar de leve a moderado, assemelhando-se a uma gripe, agravando-se em função de pré-existência de outras doenças. Nessas situações, pode ocorrer síndrome respiratória aguda grave e complicações e, em casos extremos, levar a óbito.

 

Sintomas

Febre, tosse, dificuldade para respirar, podendo ocorrer cansaço, dores, corrimento e congestão nasal, dor de garganta e diarreia.

 

Transmissão

A transmissão ocorre por espirro, tosse, catarro, gotículas de saliva, contato com pessoa infectada, contato com superfícies contaminadas (seguido de contato com mucosas: boca, nariz e olhos).

 

Tratamento

Até o momento, não há vacina disponível contra o COVID-19. Existe tratamento disponível, que evita o agravamento da doença e reduz o desconforto. No entanto, ainda não há medicamento específico para eliminar o vírus.

A grande maioria dos casos são autolimitados, ou seja, são curados espontaneamente. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 80% dos casos são leves. A maior preocupação é quando a doença atinge idosos ou pessoas com doenças crônicas (hipertensão, doenças cardíacas, diabetes, etc), nas quais o risco de complicações aumenta. Pessoas com quadro grave da doença devem ser hospitalizadas.

Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

 

Proteja-se

- Lave as mãos frequentemente com água e sabão e use antisséptico de mãos à base de álcool gel 70%;

- Ao tossir e espirrar:

      * Cubra a boca e o nariz (use a parte interna do cotovelo ou lenço de papel);

      * Use, preferencialmente, lenço descartável, jogue-o fora logo após seu uso;

      * Se usar as mãos, lave-as imediatamente;

- Evite contato físico ao cumprimentar as outras pessoas (aperto de mãos, beijo ou abraço) e mantenha uma distância mínima de 2m de pessoas com febre e tosse;

- Evite tocar olhos, nariz e boca;

- Intensifique a higiene após cuidar de pessoas doentes, ir ao banheiro ou antes e depois de comer;

- Evite local com aglomeração de pessoas;

- Não compartilhe objetos de uso pessoal ou alimentos;

- Procure um serviço médico se apresentar sintomas como febre, tosse e dificuldade para respirar;

- Em caso de dúvidas, ligue para o Disque Saúde 136 do Ministério da Saúde.

 

Atenção!

Quem esteve em países com casos confirmados da doença e apresentar sintomas suspeitos deve:

- Evitar o contato com outras pessoas;

- Procurar um serviço médico imediatamente;

- Seguir os cuidados recomendados.

 

Casos suspeitos: quem apresentar os sintomas deve procurar qualquer serviço de saúde. Para casos graves, a rede de saúde preparou hospitais de referência na capital, interior e litoral.

A notificação deve ser feita pelo serviço de saúde que atender o paciente em até 24 horas. A comunicação é feita pelas prefeituras ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde.

APP Coronavírus-SUS

Ministério da Saúde disponibiliza ferramentas de comunicação sobre o Coronavírus

Publicado em: 03/03/2020 - Fonte: Ministério da Saúde

A fim de facilitar o acesso a informações sobre o Coronavírus Covid-19 e combater a propagação de notícias falsas, o Ministério da Saúde desenvolveu aplicativos com dicas de prevenção, descrição de sintomas, formas de transmissão, mapa de unidades de saúde e até uma lista de notícias falsas que foram disseminadas sobre o assunto.  

Os aplicativos estão disponíveis para usuários dos sistemas operacionais iOS e Android: 

iOS

Android  

Também com o objetivo de alertar e esclarecer a população sobre as Fake News que começaram a ser disseminadas sobre o tema, foi disponibilizado um número de WhatsApp para envio de mensagens da população para apuração pelas áreas técnicas do Ministério da Saúde e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira. 

Qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de continuar compartilhando. O número é (61) 99289-4640.

 

Comunicação Oficial

Cartaz - Prefeitura da Cidade de São Paulo

Cartaz - Governo do Estado de São Paulo - Guia de Prevenção 1

Cartaz - Governo do Estado de São Paulo - Guia de Prevenção 2

 

Fonte: Comunicação Oficial Prefeitura da Cidade de São Paulo e do Governo do Estado de São Paulo, Aplicativo Coronavírus-SUS.